Coisas que fazem minha vida mais pesada

Nesse período sabático gostaria de encarar de frente uma lista que há muito me pesa… algumas atitudes minhas que fazem a vida muito menos leve e que, portanto, estão me afastando da minha busca.

Compartilho aqui como uma forma de também encorajar outras pessoas a fazerem esse exercício, pois sou partidário de que metade do problema se resolve quando o identificamos.

E assim estou fazendo: listando as principais coisas que faço que tornam minha vida mais pesada.

Espero poder revisitar esses pontos daqui a pouco mais de 1 ano e conseguir olhar com orgulho para a minha evolução em cada um deles!

 

Perfeccionismo

perfeccionismoAgora que estou fora do mundo corporativo posso usar esse “clichê das entrevistas de emprego” sem medo de ser mal compreendido…

Afirmo com toda certeza que o verdadeiro Perfeccionismo não é um “defeito-qualidade” como muitos querem deixar transparecer no ambiente de trabalho. Ele é uma característica muita pesada pra quem a carrega! Se isso nunca foi um fardo na sua vida, fique tranquilo, você não é um perfeccionista!

O que estou falando aqui é de uma dose excessiva e quase sempre desnecessária de carga emocional e física que vem junto com qualquer tarefa do dia-a-dia.

Imagine então em trabalhos complexos!? Imagine o tamanho do esforço mental que eu tinha (e tenho) que colocar para entregar as coisas no prazo!

Gasto uma energia muito além da necessária para quase tudo que vou executar na minha vida…

Tenho uma capacidade de levar cerca de 3 vezes mais tempo para executar uma atividade do que a média das pessoas normais, e o resultado adicional que trago muitas vezes é imperceptível aos olhos dos outros ou efetivamente nem agrega valor…

Somado a isso, praticamente toda vez que tento atropelar essa minha característica eu me arrependo… pois, logo depois de algum tempo, vejo que teria feito diferente se tivesse me dedicado um pouco mais…

Esse talvez seja um dos pontos mais difíceis para eu trabalhar. Chega a ser uma marca cravada na minha personalidade. Não vejo muita esperança de eliminar esse peso da minha vida por completo e até mesmo não enxergo nesse momento muitas formas práticas de fazer uma grande evolução nesse quesito.

Mas para praticar um pouco esse desapego pelo perfeccionismo vou me permitir escrever esse post de forma mais livre, com um pouco menos de revisão e filtros…

 

Me deixar influenciar pelo humor alheio

influencia do humor dos outros“Nenhum homem é uma ilha”, já diria o poeta inglês John Donne.

Mas até aí ser uma “esponja” já é demais!!!

Me considero uma pessoa sensitiva, o que vejo como positivo, porém isso levado ao extremo faz com que eu me deixe levar pelo que os outros estão sentido, e geralmente é o sentimento negativo que me pega mais…

Consigo sentir a energia das pessoas e dos ambientes, mas acabo me deixando influenciar pelo sentimento alheio, entrando sem querer na onda daquilo que está acontecendo ao invés de manter uma certa neutralidade e decidir a melhor forma de agir.

Gostaria de conseguir apenas perceber as pessoas e os ambientes e conseguir influenciá-lo positivamente, quando cabível, transformando um sentimento negativo no ar em uma energia mais leve…

 

Passional/emocional/intenso

intenso, passional, emocionalEssa característica talvez seja a única das aqui listadas que eu não gostaria de eliminar. Quero aqui apenas calibrar melhor a dose da intensidade com que eu geralmente vivo as coisas.

A Yoga prega a busca por uma vida equilibrada, sem muitos altos e baixos.

Porém, por gostar dos “altos”, estou disposto a enfrentar alguns “baixos”, contrariando um pouco essa filosofia oriental milenar. Mas com certeza está faltando um pouco mais de equilíbrio no meu modo de viver.

Não quero perder por completo minha postura emocional perante as coisas, mas sem dúvida uma dose extra de serenidade iria me fazer muito bem…

 

Destempero

destempero bombaEssa é uma característica que nem os amigos mais próximos conhecem da minha essência…

Eu a deixo transparecer apenas para meu núcleo familiar ou, rara exceção, em momentos muitos específicos fora desse círculo.

Profissionalmente, por exemplo, me lembro apenas de uma única situação clara em que deixei esse sentimento fluir. E, obviamente, me arrependo até hoje…

Portanto, atualmente, quem está sofrendo (além de mim mesmo) com essa vergonhosa característica é a Xubis, e se eu não cuidar, muito em breve, o Chico…

Essa é a minha maior prioridade entre todos os itens dessa lista! Uma não transformação dessa minha característica, sem dúvida, coloca em risco toda essa nossa busca por uma vida mais leve…

Uma pequena luz no fim do túnel é o fato de isso ser restrito apenas à algumas pessoas ou raras situações. Mostra que se eu ficar em constante vigília eu consigo conter essa “bomba”. Claro que apenas não deixar a “bomba” explodir não é a solução ideal, porém, chega sim a ser uma alternativa de curto prazo quando estamos falando justamente do problema de se perder a cabeça e as consequências desastrosas que isso me causa (nesse caso, nos causa…).

Portanto, manter esse ponto sempre em mente como forma de conseguir num primeiro momento que o destempero não transborde os meus limites vindo à tona está sendo a maneira paliativa como estou lidando com a situação.

Mas entendo que esse ponto, para se resolver na raiz, somente com o auxílio de um especialista ou uma improvável iluminação…

 

Overthinking (Pensar demais)

OverthinkingAs vezes trato minha vida como se ela fosse um jogo de xadrez.

Para quem não é muito familiarizado com o jogo, o bom enxadrista busca antecipar todos os movimentos futuros possíveis que o adversário possa fazer. E dizem que os melhores do mundo conseguem no máximo antever 5 jogadas à frente tamanho o mar de possibilidades…

E assim é a vida… não adianta eu ficar elucubrando “o que vou fazer se acontecer isso?” “E se acontecer aquilo?” “E aquilo outro?”. Entendo que para uma vida mais leve, preciso deixar fluir, deixar acontecer e não ocupar minha mente com possibilidades remotas ou ainda criando problemas onde nem sequer existem…

Planejamento é importante (diria até fundamental!) mas tentar antecipar todas as “jogadas” que a vida pode te trazer é desperdício de tempo e energia, exceto no xadrez… 🙂

 

Preocupação ou Pré-ocupação

preocupadoSou uma pessoa extremamente preocupada com as coisas. Um problema ocupa minha mente por muito mais tempo e de uma forma muito mais intensa do que deveria.

Isso me incomoda muito pois me limita viver o presente, afinal como a própria formação da palavra sugere, “pré-ocupação” é se ocupar de algo que não está acontecendo no momento…

E viver no presente é com certeza um dos principais pilares de um vida leve!!!

 

Angústia

angustiaAlém de ser uma pessoa preocupada com os problemas, chego num grau de dramaticidade com muitas coisas na minha vida que elas acabam por me gerar angústia.

E essa angústia geralmente me paralisa, o que é um efeito colateral indesejado.

E as coisas pequenas que não deveriam me fazer sofrer, são as que primeiro eu deveria eliminar, pois são claramente gasto de energia e tempo desnecessários…

Creio que o segredo aqui esteja em calibrar a dose, transformando esse sentimento de angústia em um sentimento apenas de incômodo, que faça com que eu me movimente sem grandes sofrimentos em prol de melhorar uma situação que não está conforme desejado.

 

Não dividir igualmente os cuidados com o Chico

Cuidado com o Chico 3Se eu me comparar atualmente com a média dos pais na atenção e tempo dispensado com seu filho, estarei acima da média. Esse Sabático tem como um dos objetivos acompanharmos a evolução do nosso bebê dia-a-dia.

Sem dúvida, estou vivenciando todos os aprendizados diários do Chico nessa fase tão especial e fundamental da vida dele! Porém, o que eu não posso fazer é ficar apenas com o “filé-mignon” dessa experiência…

Aqui estou me atendo ao fato que devo compartilhar melhor com a Xubis a tarefa de efetivamente cuidar dele. Das coisas mais básicas mesmo.

E por quê a vida fica mais pesada se eu não cuidar dele?

Porque a sobrecarga na Xubis torna a vida dela mais pesada e, como o barco é o mesmo, ficamos ambos mais pesados.

Portanto, ter mais tempo para você mesmo não significa necessariamente uma vida mais leve…

Mas esse ponto eu estou confiante que irei avançar!!! Acho até que já fiz alguns bons avanços, certo Xubis!? 🙂

 

Não assumir a responsabilidade por tudo que acontece comigo

CulpaQuase sempre que ocorre algo de ruim comigo eu procuro um responsável por isso que não seja eu…

No “manual informal” das grandes corporações, dizem que se um problema aconteceu no seu departamento e você tem alguém a quem culpar, fique tranquilo! Você não tem realmente um problema…

Brincadeira à parte, eu preciso perder essa mania de buscar um culpado para as coisas que acontecem comigo. Não sei exatamente o motivo pelo qual eu faço isso. O fato é que não me ajuda em nada a resolver a situação. Pelo contrário! Muitas vezes fico revoltado com alguma terceira pessoa e o problema só aumentando na minha frente…

Tem uma frase que eu gosto muito que diz: “O que vem à mim, vem de mim…”. Pois é, acho que estou precisando viver mais essa frase na minha vida…

O que vem à mim, vem de mim…

Ou seja, como você pode perceber, terei um Sabático intenso… só espero que não muito angustiante… 🙂

13 Comentários Coisas que fazem minha vida mais pesada

  1. Roberto 26 de outubro de 2015 às 01:28

    Meu amigo, excelente o texto e natural pois somos seres falíveis. Se me permite uma correção na primeira parte do texto quanto a influenciar positivamente alguém, sou um exemplo contrário ao que vc falou. Vc influenciou positivamente em minha vida. Vc e a Tati tiveram e tem uma importância grande em decisões num momento em que eu estava pressionado e a ponto de nem sei o que. Bastou vinhos fatias de pizza acolhida amiga e o sorriso e o amor ao Chico para trazer a mim outra visão. Hoje mesmo distante fisicamente talvez não estejamos tão perto nos anos de nossa amizade. Tenho aprendido estou me cobrando menos e contemplando com alegria o sucesso desta viagem de vcs. Amigo vc me influenciou positivamente. Tati e Chico São tesouros em sua vida e sei que vai melhorar o que pretende. Sangue de d. Tiana e Sr. Tião não Poderia ser diferente pessoa do bem. Gosto de vocês meus amigos e estou torcendo para que conquistem tudo que desejam inclusive os ensinamentos de vida. Bjo em seus corações com amor de um amigo declarado.

    Responder
    1. Rafael Menezes 29 de outubro de 2015 às 13:27

      Olá Robertinho!
      Sem palavras sobre o seu comentário…
      Agradeço imensamente pelos elogios e pela torcida!!!
      Fico muito feliz se de alguma forma pude contribuir para algo positivo na sua vida!!!
      Vc também sempre muito entusiasta nas coisas que fazemos e isso nos dá força para continuarmos nossa caminhada!
      Que vc também conquiste tudo o que desejar nessa vida!
      Um beijo!

      Responder
      1. roberto 30 de outubro de 2015 às 14:39

        Que Deus os abençoe meus amigos. E sigam em suas caminhadas!

        Responder
  2. Lais Vilarinho 26 de outubro de 2015 às 03:51

    Me identifiquei com praticamente todas as características! 🙂
    Vou acompanhar por aqui a mudança de vocês e quem sabe consigo mudar também!
    Parabéns pela iniciativa e sucesso!

    Responder
    1. Rafael Menezes 29 de outubro de 2015 às 13:36

      Olá Lais!
      Muito legal que vc leu e muito interessante que vc se identificou com várias características!!! Não sei se isso é bom… hahahahaha
      De qualquer maneira, muito obrigado por ter compartilhado isso conosco!
      Mas então vamos trabalhar juntos nessa evolução!
      Esses aspectos aqui são bem difíceis para fazermos uma transformação, mas vamos manter vigília sobre excessos cometidos em algumas dessas características que já acaba sendo um primeiro grande passo para mudarmos…
      Também estarei torcendo por vc!
      Um beijo!

      Responder
  3. Bárbara 26 de outubro de 2015 às 11:31

    Muito encorajador ler este texto!!
    Eu não li todos os detalhes, mas me admirei que temos muito em comum!! Tenho lido alguns livros do Augusto Cury e muitos dos pontos que vc mencionou faz parte de uma sindrome: “pensamento acelerado” e ele considera a mente agitada como o mal do século!! Vale a pena vc dar uma olhada em alguns dos livros dele (estou namorando alguns livros) porque nos mostra que todos estamos no mesmo barco! E ele ainda traça estratégias para lidar com este mal!
    Eu acredito que o livro: Ansiedade, como enfrentar o mal do século, possa te ajudar muito! O autor é Psiquiatra, Pesquisador e defende com unhas e dentes que seus livros não são de auto-ajuda e sim científicos, aonde ele apresenta ferramentas efetivas para curarmos a nós mesmos!!
    Boa sorte nessa jornada!!
    Grde bjo
    “Tamo junto”

    Responder
    1. Rafael Menezes 29 de outubro de 2015 às 13:48

      Olá Bárbara!!!
      Muito Obrigado por todas as suas recomendações!!! Não somente aqui nesse comentário como através do Facebook também!!!
      Aliás, a frase que vc me marcou no Facebook do Augusto Cury é fantástica e tem tudo a ver com esse post aqui: “Quem não renuncia à necessidade ansiosa de ser perfeito, não aplaude a sua humanidade, perde a sua essência, esgota sua energia vital”.
      Boa sorte na sua jornada também!!!
      Continue trocando figurinhas com a gente por aqui!!!
      Tamo junto!
      Um beijo!

      Responder
  4. Elisangela lima 26 de outubro de 2015 às 12:07

    Parabéns pelo excelente texto. Ter a coragem de expor seus desafios já se trata de uma grande evolução. Torná-las consciente é fundamental para a mudança que está buscando. Sucesso para vc !!! Vou acompanhar este crescimento, tenho certeza que se estiver firme em seu propósito será alcançado. Abraços !

    Responder
    1. Rafael Menezes 29 de outubro de 2015 às 14:00

      Ola Elisangela!
      Muito Obrigado pelo elogio!!! Fico muito feliz em ler isso!!!
      Tomará que se concretize essa evolução como vc comentou pois estou realmente firme nesse propósito!
      Mas quase sempre tem esse meu “Eu” que dificulta minha própria evolução me atraindo para essas mesmas sombras que eu cito nesse texto… Reprogramar esse “Eu” não está sendo tarefa fácil…
      Obrigado novamente e sucesso para vc também!!!

      Responder
  5. Eliana 26 de outubro de 2015 às 19:35

    Sobre o Perfeccionismo:
    – uma simples atitude muda o destino de nossas vidas!
    A importância dos dias sabáticos é a imersão em si próprio e a relação com as pessoas ( filosofar sobre nossas atitudes e arelação com o meio ambiente).
    A perfeição caminha sobre uma ótica muito subjetiva. O que precisamos sempre é calibrar a nossa ótica e a alheia, de modo que prevaleça um equilibrio onde a realização prefeita, não seja lenta e dolorosa.
    Então,façamos com prazer ou enfrentemos a obrigação o mais rápido possível , para chegar a solução.
    Conclusão: Perfeccionismo x Objetividade ( colocar o tempo a nosso favor – terminar as tarefas de forma satisfatória , sem desgaste.

    Sobre como influências de pessoas interferem no nosso comportamento:
    Aprender a ouvir, refletir e selecionar( filtrar ) aquilo que é nefasto.
    ” Aprendemos com os erros” ( ninguém é infalível!)

    Passional/ Emocional
    É muito difícil mudar as características pessoais! Podemos maquiar uma mudança ,através de exercícios de auto controle.

    Destempero. (Sometimes…)
    Quando estamos no limite da Emoção x Racionalidade ( Devemos lembrar da Yoga)
    Priorizar pensamentos úteis, gozar os fúteis e até o ócio.(para limpar o cérebro).
    Preocupação é importante para REALIZAÇÃO…
    Quando dramatizamos colocamos para fora algo que nos incomoda profundamente ,independente do nosso julgamento.
    Somos julgados pelas nossa ações,reações e somos juízes do alheio.
    O certo do errado vai depender.do lugar onde estivermos…
    Muito importante para sermos felizes é o respeito às crenças locais, o modo vivendas.
    Respeitar o homem é a natureza.
    A sua viagem de intensa reflexão mostra coragem é imensa vontade de mudança.
    ” Quem se eleva, eleva o mundo”
    Viver com o essencial , sem perder a essência!!!!
    Bjs
    Mami

    Responder
    1. Rafael Menezes 29 de outubro de 2015 às 14:29

      Olá Mami,
      Muito obrigado pelo seu comentário!!!
      Queria te agradecer por toda a força e incentivo que vc está me dando durante esse processo!!!
      Te amo!
      Um beijo!

      Responder
  6. Mirena 27 de outubro de 2015 às 10:39

    Adorei Rafinha! Nós somos os maiores obstáculos pra uma vida mais simples. Me identifiquei com várias características… e também com os 3 pontinhos no final das frases… 🙂

    Responder
    1. Rafael Menezes 29 de outubro de 2015 às 14:18

      Ola Mimi!!!
      Muito obrigado por comentar aqui!!! E fico feliz que vc gostou desse post!!!
      Me conforta saber que vc também luta com alguns desses pontos… apesar que seria melhor pra vc se vc não tivesse nenhum deles, né!? 🙂
      Realmente nós somos os maiores obstáculos para uma vida mais simples!!! E talvez seja exatamente por esse ponto que eu acredite que o nosso caminho (por uma vida mais leve) vai dar certo…

      E sobre o mal dos 3 pontinhos no final da frase (hahahaha – dei muita risada que vc percebeu isso!!!), vc não acredita como eu tento me policiar para evitar isso nos textos, mas as vezes os 3 pontinhos dão tanto sentido para o que eu estou escrevendo que fico com pena de tirar… hehehehe
      Nesse post eu abusei em deixar!!! Afinal, eu estava falando dos meus defeitos… Acho que os 3 pontinhos é mais um deles… 🙂

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *